Investimento em TI atinge US$1,3 BI em Minas Gerais
5 de setembro de 2018
Estratégia de renumeração: o caminho para o futuro das empresas de tecnologia
18 de setembro de 2018
Tour por startups desperta a vontade de empreender de jovens alunos

Escola de Belo Horizonte inova e leva estudantes do ensino médio para dois dias de aprendizado no ecossistema de inovação de BH

Belo Horizonte é famosa pelo pão de queijo, pelos bares e por sua cultura pujante. E agora vem ganhando fama por conta de seus espaços de inovação e empreendedorismo espalhados pela cidade. Já somos a segunda maior comunidade de startups do Brasil. No entanto, jovens, em sua maioria, não têm acesso a esses lugares e assim não conseguem propagar o que vem acontecendo por aqui. Como envolver a população se a escola, o mercado de trabalho e os empreendedores não estão conectados?

Foi pensando nisso que o professor de Empreendedorismo do Colégio Cotemig, Alysson Lisboa, juntamente com os coordenadores e direção da escola decidiram criar a Rota Cotemig de Aceleração e Inovação. São oito locais escolhidos que durante dois dias foram visitados por 50 alunos. A cada parada, surpresas, palestras e muito network.

No primeiro dia (12 de setembro), 25 estudantes visitaram o Raja Valley e foram recebidos pelo CEO do espaço, João Fialho. O empresário contou um pouco sobre como transformou o Raja Valley, antes um prédio quase abandonado em um centro de inovação e conexão de startups.

Após a palestra os alunos puderam conhecer as instalações e visitar empresas. Depois de lá foi a hora de conhecer uma “fábrica de startups” a E-motion Studios. Os visitantes foram recebidos por Poliana Godinho, diretora de produtos e marketing da empresa. A E-motion Studios capacita e coordena startups para que alcancem o sucesso em um ambiente colorido, divertido e de muita inspiração. Ao final, os estudantes do terceiro ano do ensino médio tiveram uma palestra sobre recursos humanos.

A terceira parada do dia foi no Hub Minas Digital e Seed. Localizado no antigo prédio Rainha da Sucata, na Praça da Liberdade, o movimentado espaço está recebendo a aceleração de startups e conexões entre grandes empresas. Tássia Junqueira, responsável pelos eventos e parcerias no Seed ministrou uma palestra sobre inovação e apresentou os programas realizados em Minas Gerais. Os empreendedores também puderam contar um pouco sobre a difícil jornada empreendedora e os desafios de quem é jovem.

Para todo lado que se olhava, jovens com seus computadores adesivados recebiam os visitantes com muita alegria. Luiza Oliveira Ribeiro, estudante do Cotemig não escondia a alegria em participar do evento. “É incrível como as pessoas inovam. Isso aqui me inspira muito”, completa.

A última parada da Rota Aceleração Cotemig foi na Fumsoft e Flávia Guerra, gestora da Acelera MGTI, programa de aceleração da Fumsoft, recebeu os alunos. Ela apresentou cases de sucesso contados pelos próprios empreendedores em pitchs de cinco minutos.

Envolver pessoas e apresentar projetos

No segundo dia da Rota Empreendedora outros alunos partiram da unidade Floresta rumo a mais quatro espaços em Belo Horizonte. O primeiro deles foi o Semear Innovation, o maior coworking da cidade. Empresas de psicologia, agências de turismo, centro de treinamento da Microsoft e o mais curioso, o primeiro órgão público federal a ocupar um espaço de coworking no Brasil estão lá. Algo que até pouco tempo era impensável hoje está se tornando realidade. O Instituto Chico Mendes, responsável pelo controle e gestão dos parques federais e ligado ao Ministério do Meio Ambiente encontrou no coworking uma maneira de se aproximar das startups e gerar ricas conexões.

Depois da visita, alunos seguiram para o Impact Hub e puderam conhecer os casos de sucesso da empresa Sigla Comunicação. Na parte da tarde, mais imersão no ecossistema. A startup Solides empresa que trabalha com software de gestão e perfil comportamental trouxe muita curiosidade aos participantes. “Como isso é possível? indagou a aluna Alexia. Na última parada os alunos foram recebidos pela CEO do Órbi Conecta, Anna Martins. O espaço foi construído com apoio da MRV, Localiza e Banco Inter. Palestras com empreendedores, muitas fotos, troca de cartões e o saboroso gostinho de passar algumas horas ao lado de pessoas que estão transformando Minas Gerais e toda uma cultura de inovação.

Poder incluir no currículo dos alunos uma experiência imersiva no mundo das startups faz com que eles entendam o real poder das mudanças que estão por vir, seus desafios e também como é estar ao lado de quem trocou empregos formais pela possibilidade de realmente mudar o mundo. A escola, em seu importante papel, mostra-se atualizada e atenta à nova economia que leva nossos jovens ao mundo do empreendedorismo.

ASSOCIE-SE
WhatsApp chat